Bem-vindo | Inicie sessão | Registe-se

Business to Business B2B

O B2B é provavelmente a utilização mais promissora do comércio eletrónico. Estima-se que 90% do comércio eletrónico seja realizado entre negócios – entre empresas. Na sua definição mais simplista, o B2B é o processo de comércio eletrónico realizado entre duas empresas recorrendo à tecnologia da web.

Business to business

Pode incluir funções para troca de informação, para facilitação das transacções comerciais e até para uma completa integração dos processos de negócio de uma companhia.

Por esta razão, este tipo de comércio eletrónico é também designado de e-marketplace.

Produção de facturas electrónicas, gestão de inventários, pagamento electrónico e leilões de produtos, são algumas das funções presentes num e-marketplace.

Este tipo de comércio eletrónico veio substituir a tecnologia EDI – Electronic Data Interchange e os sistemas baseados em papel, uma vez que é mais rápido, mais barato, e mais fácil de expandir de acordo com a constante dinâmica de mudança dos mercados.

Electronic Data Interchange

Processo de comunicação electrónica (sem papéis) que permitia transacções comerciais entre várias empresas, tais como a colocação de encomendas, confirmações, contratos, facturas e pagamentos. Permite a troca de mensagens entre parceiros, que são automaticamente reconhecidas. Utilizado principalmente na indústria automóvel. Formatos padrão: ANSI X12 e EDIFACT.

E-marketplace

As ideias nucleares por detrás do e-marketplace são a eficiência e a conveniência. Substitui o anterior método de procurement que envolvia por exemplo a pesquisa em dezenas de catálogos de artigos, a realização de variadas chamadas telefónicas, e o preenchimento de diversos formulários, entre outras iniciativas bastante laboriosas.

Procurement: Todas as actividades envolvidas no processo de solicitar, encomendar, auditar, adquirir e pagar bens – produtos ou serviços.

Numa perspectiva de gestão, é com certeza uma estratégia custosa e ineficiente. O e-marketplace coloca todos esses catálogos online, adiciona-lhes uma funcionalidade de pesquisa de artigos e de processamento de encomendas e torna a procura e a comparação de produtos similares de diferentes fornecedores bastante rápida e facilitada. O conceito de B2B constitui uma grande invenção nos processos de negócio.

Entre os aspectos mais importantes a ter em conta numa estratégia Business 2 Business contam-se a segurança e a fiabilidade.

Segurança em B2B

Muitas das soluções de B2B usam a tecnologia de VPN (virtual private network). A vantagem das redes VPN consiste no facto de permitirem à empresa as mesmas capacidades de uma rede privada a um custo muito menor, pela utilização que é feita de redes públicas.

VPN (virtual private network): Redes privadas que utilizam infra estruturas públicas de telecomunicações mantendo a privacidade e a segurança dos dados através de protocolos e procedimentos de segurança rigorosos.

Os e-marketplaces são de facto centros de serviço dedicados a um mercado em particular, permitindo que todos os participantes nesse mercado possam comunicar electronicamente entre eles. Os e-marketplaces podem produzir informação específica ao negócio em causa: disponibilizando acesso a directórios da indústria, bases de dados de produtos, fóruns de discussão, produzindo bulletin-boards, realizando leilões ou leilões invertidos, etc.

Leilão tradicional (Leilão de venda): Neste tipo de leilões é o fornecedor que define o que quer vender e em que condições, nomeadamente o preço.

Leilão invertido (Leilão de compra): Neste tipo de leilões é o comprador que define o que quer comprar e em que condições (por exemplo, preço).

Um sistema efectivo deve também ser capaz de proceder às transacções necessárias entre os membros que querem comprar e vender.

A companhia hoteleira americana First Internet Travel, Inc (reservations.1800usahotels.com), e a Tourist Bureau Marketing Inc (www.allresnet.com) formaram o TIMA em Maio de 2002, num esforço para juntar hotéis e operadores grossistas no mercado da venda de dormidas. O TIMA conseguiu estabelecer uma ponte entre os fornecedores de diárias em hotéis e os consumidores mais zelosos sobre o preço a pagar por uma dessas diárias, que assim podem deixar de passar horas a fio monitorizando variados sites em busca do quarto mais barato.

Estes sistemas alargam o alcance dos fornecedores de serviço enquanto também beneficiam os consumidores pela oportunidade de contratarem o serviço a preços especiais. Através do sistema, hotéis e seus parceiros grossistas podem melhor gerir o inventário que de outro modo poderia simplesmente ficar por vender.

É importante reconhecer que o comércio eletrónico não se resume a vender e a comprar. Por outro lado, o comércio eletrónico deve ser considerado parte da estratégia global de negócio da empresa. Os e-marketplaces aumentaram a inter-conectividade entre fornecedores, consumidores e até competidores. Para um negócio sobreviver e prosperar num e-marketplace deve conhecer e optimizar as relações entre os seus componentes e participantes.

Comércio EletrónicoPublicado 20 Junho 2011 às 15:18 Sem Comentários

Tags: , , , , , , ,

Deixe um comentário

(obrigatório)

(obrigatório)